Cotoco e Daytripper

Quero indicar dois livros ótimos. O primeiro é ‘Cotoco – O diário perversamente engraçado de um garoto e 13 anos’, do autor sul-africano John van de Ruit lançado pela Intrínseca em 2010. Nas minhas “andanças” atuais pelos canais literários, vejo muitas pessoas ótimas falando sobre livros e outras péssimas, que mal sabem falar. Um dos canais que frequento é de Patrícia Pirota, uma professora muito simpática que dá boas dicas de livros. Um deles foi Cotoco. Na verdade eu já tinha visto vídeos em outros canais falando muito bem do livro, mas bati o martelo com o depoimento de Patrícia. E não me arrependi.

John van de Ruit

‘Cotoco’ conta a história de John Milton, um garoto que vive na África do Sul dos anos 90, quando Nelson Mandela foi libertado e existia as discussões sobre o fim do apartheid. John recebe uma bolsa para estudar em um famoso colégio interno. Lá, vai viver momentos inesquecíveis, que no final das contas são momentos pelos quais todos passamos e que é quase impossível não se identificar: a descoberta da sexualidade, a falta de tato para lidar com as meninas, a descoberta das verdadeiras amizades, a necessidade de afirmação, vergonha dos pais (quando se é adolescente) etc etc. É lá também que recebe seu apelido, cotoco. Mas isso só lendo para descobrir. Não darei conta da beleza e da graça do livro, que é muito bem escrito em forma de diário, como diz o título.

O segundo não foi uma dica de algum canal, mas de um recém-descoberto blog de literatura que eu achei muito legal e cujo link encontra-se abaixo (Lua Limaverde). ‘Daytripper’, dos brasileiros Fábio Moon e Gabriel Bá, é uma HQ (graphic novel se você quiser algo mais pomposo) excelente, que para mim já virou um clássico. O livro foi escrito em inglês e foi lançado inicialmente fora do Brasil, recebendo elogios dos mais diversos países, como Estados Unidos e França. Basta dizer que ‘Daytripper’ recebeu o prêmio Eisner, a premiação mais importante do mundo no universo dos quadrinhos. Em 2011 a Panini lançou o livro dos irmãos gêmeos aqui no Brasil. Eu sabia da existência da obra, mas apenas virei algumas páginas as vezes que entrei em contato. Quantas coisas boas passam pelas nossas mãos e não percebemos?

‘Daytripper’ conta a história de Brás de Oliva Domingos, um jornalista que escreve obituários e que tem sua vida mudada em cada uma das dez histórias escritas por Moon e Bá. Cada história nos apresenta aspectos da outra, formando um caleidoscópio de dez possíveis vidas para o protagonista. O livro trata do poder exercido por nossas escolhas e como elas interferem em nossa existência. Um mínimo gesto pode mudar tudo.

Bá e Moon

Bá e Moon são ótimos desenhistas, muito expressivos, com um visual dinâmico, além de escolherem muito bem as cores para ilustrar os diversos momentos e sentimentos presentes no livro. Eu adorei. Sou um fã tardio de HQs, mas cada vez mais descubro um universo de autores maravilhosos, inclusive brasileiros.

PS: Enquanto escrevo este texto descubro que Cotoco virou filme em 2010! É claro que vou atrás ver. Se puder, hoje mesmo (14 de maio). Site oficial do filme: http://spudthemovie.com/

Anúncios

5 pensamentos sobre “Cotoco e Daytripper

  1. Oi, Sandro! Que bom que você gostou da indicação! Estou querendo ler Cotoco e ainda não fui atrás porque estou com muitos livros na pilha para ler, mas assim que der vou procurar. Também gosto muito de alguns canais literários, o da Patricia Pirota é um dos mais legais. Bj!

  2. Já começou a ler a coleção da Folha? Você tem muitos pela frente! rs. Amei sua dica. Ha, leia Cotoco quando puder, é um livro muito simpático, delícia de ler. Grande beijo, Lua!

  3. Oi Sandro!
    Obrigada pelos comentários lá no blog, fiquei muito feliz!
    Eu ja tinha visto Cotoco na livraria, mas não tinha chamado minha atenção, agora com indicação e da Patricia, vou ficar de olho… A Lua também sempre tem dicas ótimas, sempre quero ler os livros que ela posta!
    Bjus e boa noite!

  4. Valeu pela visita, Cah! Acho que você vai gostar de Cotoco! O legal dos blogs e canais é que você acaba “conhecendo” pessoas que amam literatura e que acabam sendo referências para a escolha dos livros, mesmo que não se goste depois. Em relação a esses dois só tenho elogios, como você leu. Beijos e também fiquei muito feliz com sua visita!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s