Um mês, 31 filmes. Dia 5

Dia 5: Ator e atriz preferidos.

Nessa categoria eu poderia recorrer fácil aos grandes atores e atrizes que são referência mundial e amplamente laureados e dos quais eu tenho profunda admiração. No entanto, eu escolhi dois atores que são experientes, mas ao mesmo tempo fazem parte de uma geração mais recente e que pelos quais eu também possuo admiração (Sim, eles também receberam muitos prêmios). São dois grandes intérpretes, que conseguem diversificar seus papéis porque são inteligentes em suas escolhas. Estou falando da israelense Natalie Portman, que nasceu em 1981, e do baiano Wagner Moura, que veio ao mundo em 1976.

Com Jean Reno, em 'O Profissional'

Eu não passei a gostar de Portman porque ela ganhou o Oscar de Melhor Atriz por ‘Cisne Negro’. Minha admiração por ela já vem de longe, desde a primeira vez que vi seu primeiro filme, ‘O Profissional’ (1994), onde ela faz a esperta Mathilda. Daí para frente fui acompanhando sua carreira e adorando suas performances.

Eis uma lista de alguns filmes dela que gosto muito: ‘Fogo Contra Fogo’ (1995), ‘Brincando de Seduzir’ (1996), ‘Onde Mora o Coração’ (2000), ‘Zoolander’ (2001), ‘Hora de Voltar’ (2004), ‘Closer – Perto de Mais (2004), ‘Free Zone’ (2005), ‘Star Wars: Episódio III – A Vingança dos Sith’ (2005), ‘V de Vingança’ (2006), ‘A Outra’ (2008), ‘As Coisas Impossíveis do Amor’ (2009), ‘Cisne Negro’ (2010) e ‘Hesher’ (2011).

Como Alice Ayres / Jane Jones, em Closer

Quando a gente pensa nos atores brasileiros é mais fácil ligá-los à teledramaturgia, isto porque o cinema nacional não é bem o que podemos chamar indústria, mesmo com sua evolução (melhor distribuição, qualidade técnica etc), e pelo fato das telenovelas serem uma paixão nacional e produto de exportação. No entanto, há muitos atores que estão fazendo carreira no cinema e já podem ser identificados com a sétima arte quando tocamos em seu nome. Eu acho que Wagner Moura é um deles. O baiano estreou no curta ‘Pop Killer’ (1998), que eu não vi.

Como o anti-herói Capitão Nascimento, em Tropa de Elite

Para mim, Moura surgiu em ‘Abril Despedaçado’ (2001), de Walter Salles. Mas somente na TV comecei a admirar seu trabalho. ‘Sexo Frágil’ (2003) e a série ‘JK’ (2006) mostravam a versatilidade do ator. Ao mesmo tempo ele fazia filmes interessantes no cinema e dava vida à personas distintas, sem repetir fórmulas. Listo abaixo os filmes de Wagner que me fizeram carimbá-lo como um dos meus atores prediletos.

‘O Caminho das Nuvens’ (2003), ‘O Homem do Ano’ (2003), ‘Carandiru’ (2003), ‘Deus é Brasileiro’ (2003), ‘Nina’ (2004), ‘A Máquina’ (2005), ‘Cidade Baixa’ (2005), ‘Tropa de Elite ‘ (2007), ‘Saneamento Básico – O Filme’ (2007), ‘Ó Paí, Ó’ (2007), ‘Tropa de Elite 2 – O Inimigo Agora é Outro’ (2010) e ‘O Homem do Futuro’ (2011).

Moura e Alinne Moraes no ótimo 'O Homem do Futuro'

Anúncios

5 pensamentos sobre “Um mês, 31 filmes. Dia 5

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s