Cem escovadas antes de dormir

Quem leu o relato autobiográfico (embora a impressão é de que houve floreamentos) da escritora Melissa Panarello, na época com 18 anos, quando escreveu ‘Cem escovadas antes de ir pra cama” (2003), vai achar esta produção hispano-italiana bem contida, ou melhor, bem católica.

Melissa, que nasceu na Catânia no dia 3 de dezembro de 1985, conta as suas aventuras sexuais entre os 15 e 16 anos de idade. As descrições envolvem orgias, envolvimento com outras mulheres e experiências sadomasoquistas. No entanto, a culpa sempre envolvia a autora, talvez porque tenha nascido na Itália com todos os seus valores conservadores. Aliás, grande parte da população mundial possui a mente recheada de moralismo judaico-cristã.

No filme ‘Cem escovadas antes de dormir’ (Melissa P. – 2005), dirigido por Luca Guadagnino, nos deparamos com uma adolescente que decide torna-se senhora dos seus desejos na tentativa de vingar-se de Daniele, rapaz da escola onde estuda e pelo qual é apaixonada. Ele a humilha, a faz sofrer, tira sua virgindade de forma nada gentil. Dessa forma, numa atitude feminista rala e contra o que o sexo deve proporcionar (prazer, felicidade), Melissa resolve seduzir os homens e embarcar em aventuras sexuais até arriscadas. Facilmente garotas são estupradas e mortas ao ir a encontros com homens desconhecidos ou mesmo aqueles com quem possui certa convivência. No entanto, Melissa decide nunca mais sofrer, mas acaba vítima de sua própria vingança: sofre. Suas atitudes, embora confiram certo prazer sexual, sempre acabam em culpa, em lágrimas. O longa omite muitas passagens mais intensas contidas no relato literário de Melissa P., além de ser interpretado por Maria Valverde de forma insossa, mesmo ela sendo linda.

Maria Valverde

Penso que Melissa até queria se libertar das amarras morais e viver sua sexualidade de forma mais livre. Mas o motivo pela qual decide viver suas aventuras é pueril, iniciada por vingança contra ‘os homens que fazem as mulheres sofrerem’. Melissa também é fruto dos valores incutidos há milênios. O filme mostra essa adolescente revoltada contra as atitudes masculinas e utiliza o sexo para se libertar, mas o sexo mais parece um autoflagelo. Não devia ser (dessa forma, eu gostaria muito mais do livro e do filme). Assim como o livro, achei a produção cinematográfica muito fraca. O diretor podia transformar o longa, mesmo baseado na frágil obra da escritora, em algo mais interessante, se não fosse fiel ao livro, mas apenas o utilizasse como base somente.

Capa de 'Três'

Oito anos após o lançamento de “Cem Escovadas”, Melissa P. lança o livro “Três”, que conta a história de um amor a três. Espero que a autora, já com 25 anos, se saia melhor nesta ficção. Talvez ela tenha entendido mais a repressão imposta à sexualidade e tenha mais coragem, digamos, em dizer o que realmente quer e sente, sem a justificativa da vingança e da culpa. A minha opinião é que o livro será um sucesso, porque estamos lidando com sexo escrito por uma linda jovem italiana, assim como foi o outro. Sexo, juventude e beleza sempre atraem.

Assista abaixo ao trailer de “Cem escovadas antes de dormir”:

Anúncios

2 pensamentos sobre “Cem escovadas antes de dormir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s