O julgamento de Paris

Ver um filme delicioso, divertido, e ainda ser sobre vinhos, sempre é bom. Juntam-se duas das minhas paixões. Foi o que aconteceu com ‘O julgamento de Paris'(2008). Para vocês entenderem melhor essa história, selecionei o trecho abaixo do texto de Marcos Pivetta, do Jornal do Vinho.

Quem se interessa por vinho certamente já ouviu falar ou leu algo sobre o Julgamento de Paris, aquela degustação às cegas organizada em 24 de maio de 1976 na capital francesa pelo crítico inglês (e então comerciante de vinhos) Steven Spurrier que deu fama e reconhecimento internacional aos tintos e brancos da Califórnia. O resultado genérico da prova é bem conhecido: os tintos e brancos americanos, elaborados respectivamente com as castas Cabernet Sauvignon e Chardonnay, bateram os melhores Bordeaux tintos (em geral um blend de Cabernet Sauvignon e Merlot e, às vezes, algum Cabernet Franc) e os melhores Borgonhas brancos (feitos apenas de Chardonnay). O evento entrou para a história como a primeira grande evidência de que países do Novo Mundo podiam fazer vinhos tão bons ou melhores do que os franceses, os reis do Velho Mundo vínico.

Quem faz o papel de Steven Spurrier é o excelente Alan Rickman, que dá ao personagem um tom pernóstico, mas simpático. Uma atuação muito divertida. Aliás, o elenco está muito bom. Até Bill Pullman, no papel de Jim Barret, que é um ator que não acho grande coisa, consegue se sair bem no papel do cara que não é muito bom em expressar suas emoções, mas no fundo é amável.

Meu novo, e caro, sonho de consumo

Mas o protagonista do filme não é ninguém de carne e osso, mas uma garrafa que dentro possui um líquido precioso que, como foi exposto acima, conseguiu bater os, até então, imbatíveis vinhos franceses.

Quem gosta de vinho, da história dessa bebida apaixonante, e ainda quer ver um filme leve e simpático, eu recomendo. Por causa desse longa, meu mais novo sonho de consumo é provar um Chateau Montelena Chardonnay. Pena que a garrafa custe, em média, R$ 230.

Anúncios

2 pensamentos sobre “O julgamento de Paris

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s