Pílulas literárias

Pessoal, me ausentei exatamente 15 dias do site. É sempre assim, aí volto com algumas coisas que vi, li e ouvi. Dessa vez, como sugere o título do post de hoje, trouxe umas dicas de livros.

Bom, começo pelo livro de Moraes Moreira, “Sonhos elétricos”.  Após sua saída dos Novos Baianos, em 1975, o compositor conhece a trupe de Dodô e Osmar e começa sua jornada nos carnavais baianos, ajudando a dar a cara dessa grande festa popular com excelentes canções. O livro está cheio de curiosidades sobre a carreira do cantor e é uma grande homenagem aos inventores do trio elétrico. A parte chata fica por conta dos erros de revisão, mas nada que comprometa a leitura agradável que o livro proporciona.

Um pouco de história do Brasil. Para quem acha os livros de história chatos leia “1808”, de Laurentino Gomes. Lembro-me que eu era razoavelmente bom na matéria quando estava na escola, mas a lembrança que fica é de aulas quase sempre maçantes, com livros muito empolados, duros de ler. O livro de Laurentino, e outros que autalmente foram editados, possuem uma escrita mais fluida e interessante. A obra conta a história da saída da corte portugesa para a colônia, nosso Brasil, por conta da invasão de Napoleão Bonaparte e as tranformações pela quais o Brasil passou por causa da chegada de Dom João VI. O livro é excelente, muito bem escrito.

A psicanalista e escritora Regina Navarro Lins lançou dois livros recentemente. Li “A cama na rede” e adorei. Eu sempre aprendo muito com seus livros e já tive a honra de entrevistá-la duas vezes. Nesta obra, Dra. Regina reuniu as respostas dos internautas para 50 questões que foram lançadas em seu site enquanto este esteve no ar entre os anos de 2000 e 2009. Sexo, para mim, é mais do que um interesse físico, mental, é saúde pública mesmo. Creio que as pessoas são muito reprimidas e por conta disso infelizes, angustiadas, e tudo por conta do sexo. Eu recomendo fortemente qualquer livro de Dra. Regina e este é mais um deles.

Para finalizar, “Vida”, a autobiografia de um dos meus ídolos do rock, Keith Richards, guitarrista do Rolling Stones. Confesso que ainda não terminei, mas já posso adiantar que o livro é muito bem escrito, cheio de curiosidades e histórias maravilhosas. Você não aprende somente sobre a história do rock, de como foram feitas algumas canções, etc, mas sobre a vida, a amizade, a paixão pelo trabalho. Vale muito a pena, não somente para quem gosta de rock, mas música em geral, e principalmente porque Keith teve e tem uma existência muito rica.