Jornalista e escritor

Existem três jornalistas que são escritores que estão entre os meus prediletos. São eles: Ruy Castro, Fernando Morais e Nelson Motta. Dos três eu li livros, pena que poucos. De Nelson Motta li o ótimo “Noites Tropicais”, por sinal seu primeiro livro, escrito quando o jornalista já tinha 50 anos! De Ruy Castro degustei “Chega de Saudade”, que conta a história e as histórias da Bossa Nova. E de Fernando Morais devorei “Chatô – O Rei do Brasil”, que conta de forma magistral a vida de Assis Chateaubriand e “O Mago”, não menos maravilhoso, que conta a tumultuada vida do escritor Paulo Coelho.

Ruy Castro

Como profissional do jornalismo que sou, esses três jornalistas e escritores me inspiram. Ruy Castro e Fernando Morais são dois dos melhores biógrafos do Brasil, estilo de leitura que adoro ler. Além disso, Ruy é um apaixonado por cinema e música, também minhas paixões. É dele a elogiada biografia de uma personagem pouco reconhecida no Brasil, mas tão importante para a nossa cultura: Carmem Miranda. “Carmem, uma biografia” está na minha lista! De Fernando, “Olga” é um livro que não sai de minha cabeça.

Fernando Morais

Em uma recente entrevista concedida à Rádio Metrópole, veículo no qual trabalho, Fernando Morais afirmou que seu próximo projeto será a biografia de Antônio Carlos Magalhães, figura odiada e amada na mesma proporção. É um livro que aguardo com ansiedade. Não amava ACM nem o odiava, mas não aprovava sua política coronelista, por mais que dissesse que amava a Bahia. Enfim…

Nelson Motta

E Nelson Motta? Essa figura simpática, letrista de sucesso, que já produziu dezenas de artistas, dormiu com Elis Regina e sabe tantas histórias do mundo da música? Adoro Nelson Motta, outro que me inspira, já que um dos motivos de eu ter me formado em jornalismo foi porque sempre quis ser um músico reconhecido e como (ainda) não consegui, escrever sobre música era um passo para me aprofundar na área, entrevistando artistas e fazendo contatos. Foi assim, ainda durante a faculdade, que tive a oportunidade de bater papo com Chico César, Nando Reis, Fernanda Porto entre outros nomes que admiro. Nessa digressão esqueci de dizer que de Nelson Motta “Vale Tudo – O Som e a Fúria de Tim Maia” é um livro que ainda vou ler!

Estudantes de jornalismo ou não, amantes de um bom texto, leiam essas três grandes personalidades das nossas letras.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s