Contra a moral e os bons costumes

Esse texto é uma homenagem a José Ângelo Gaiarsa, psicoterapeuta que morreu aos 90 anos, no dia 16 de outubro, em São Paulo.

Lembro-me que durante anos assisti Gaiarsa no programa Dia Dia da Bandeirantes; seu quadro foi ao ar durate dez anos, de 1983 a 1993. Sempre me interessei por psicologia e temas como família, sexo, casamento, amizade etc. Aquele senhor de boné adolescente e seus discursos me chamavam a atenção. Confesso que nem sempre entendia seus comentários, mas nunca deixei de escutar com atenção. Sem dúvida, Dr. Ângelo Gaiarsa contribuiu para a minha formação e para a atual consciência que tenho sobre estes assuntos. Ele foi o introdutor de Carl Gustave Jung e William Reich no Brasil, psicanalistas ideólogos da revolução sexual.

Infelizmente não li seus 30 livros, mas o único que tive o prazer de ler, até agora, (Amores Perfeitos) me abriu a mente para a instituição Família. Há muito mais no livro do que os pontos que vou citar. Por isso, recomendo esta obra, que está disponível de forma gratuita no site do Dr. Gaiarsa (link abaixo).

Tenho amor imenso por minha família e até hoje devo todas as minhas conquistas pessoais a ela, com todo o seu apoio por minhas escolhas e toda a sua compreensão pelos meus erros. Quando falo ela, me refiro à família núcleo, representada por pai, mãe e dois irmãos. Acho que apesar de todos os defeitos presentes nessas pessoas, jamais gostaria de não tê-la tido um dia, mas é óbvio que chega um momento que você precisa ir adiante e descobri quem é você longe dela.

Leia abaixo trecho de Amores Perfeitos. Para mim, ficou claro durante os anos que família não é uma instituição perfeita e merece críticas. Falo isso, porque tios, tias, primos entre outros, apesar do amor guardado no coração (se é que existe), não participam de sua vida diária, não trocam experiências, não servem como amigos, como companheiros, como família como penso que deva ser. Ao contrário, criam-se disputas entre primos, fofocas destrutivas sobre os defeitos dos outros; promove-se o afastamento ao invés da aproximação e da cumplicidade. Ou seja, devemos pensar um novo modelo de família. Este que se apresenta, para a maioria das pessoas, não é saudável.

Hoje em dia, a família verdadeira não é mais considerada a consanguínea, mas um grupo de pessoas que se amam, se respeitam, querem bem uns aos outros, independente de morarem sob o mesmo teto. Hoje, pode-se escolher a família e não mais estamos presos ao conceito de que pai, mãe e filho ou filhos constituem a estrutura correta. Lembro-me que ouvia que um filho precisa da figura paterna e materna para crescer mentalmente saudável ou que a separação prejudicaria aquele futuro adulto. Pesquisas sérias revelam que filhos de pais separados têm o mesmo nível de problemas do que aqueles que vêm de uma família convencional. Antes pais separados do que um homem e uma mulher que não se respeitam e estão ali somente cumprindo um papel social.

Abaixo outro trecho que selecionei do livro:

Dr. José Ângelo Gaiarsa foi um homem corajoso, que lutou contra a moral e os bons costumes que criam o ambiente propício para a infelicidade humana. Poderia falar de sexo aqui, já que considero o principal motivo de frustração humana, levando à doenças. Somos reprimidos e não nos damos conta disso. Falando isso agora, lembrei da cantora norte-americana Katy Perry, que apesar de toda a sua figura sensual e ousadia no discurso, considerou o sexo casual SUJO. Ou seja, há uma contradição entre a figura dela, com todo apelo sexual, e seus valores, que certamente vêm da culpa religiosa muito bem introduzida em nossas cabeças…mas isso é outro papo.

Assista abaixo um depoimento forte de Gaiarsa sobre a família:

LEIAM ALGUNS LIVROS DE GAIARSA E ASSISTAM SEUS MARAVILHOSOS VÍDEOS AQUI

Anúncios

2 pensamentos sobre “Contra a moral e os bons costumes

  1. Sandro, gostei muito deste tema, todos deveriam tentar entender um pouco mais sobre esta instuição “família”que também considero cheia de imperfeições. Concordo com as colocações do psicoterapeuta que tive a honra de conhecer pelo seu maravilhoso blog. Bons fluidos..bjos
    Sua irmã…

  2. Poxa..falar de família é sempre um tema para longos debates. Se precisasse escolher, escolheria a minha família sempre cada vez que reencarnasse (esse papo é para quem acredita em reencarnação, como eu). Tudo que sou, principalmente em termos de caráter e atitudes, devo a minha família, pai, mãe e duas irmãs! Atualmente incluo um cunhado, que amo, e três sobrinhos!! rsrs
    Bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s