Homenagem a John Lennon

Beatles ou Rolling Stones? Meu organismo prefere a banda do vocalista Mick Jagger, mas sou indiscutivelmente fã dos garotos de Liverpool e das carreiras solo de dois deles: John Lennon e Paul McCartney. Mas hoje este espaço homenageia uma das figuras mais importantes da música pop de todos os tempos: John Winston Lennon, que completaria neste sábado (9) 70 anos, caso não tivesse sido assassinado aos 40 anos, em 1980, por um fã (?) chamado Mark Chapman, em frente ao edifício onde morava, em Nova York.
A imagem de Lennon está afixada no imaginário até daqueles que mal conheceram os Beatles, já que seus óculos de sol com armação redonda nunca deixaram de circular pela mídia, seja em livros, discos, televisão, revistas e claro, a internet. E não deixa de circular por uma simples razão: Lennon compôs belíssimas canções, seja com os Beatles ou em sua fase solo. Além dessas grandes músicas, Lennon era um ativista da paz, repetindo e gritando aos quatro ventos para que todos dessem chace à paz, isso entre 1960 e 1970, época da Guerra do Vietnã. No entanto, é óbvio que sua mensagem pacifista vale até hoje e seria enfadonho e redundante citar as razões.
Com os Beatles, Lennon gravou 13 álbuns até 1970, entre eles os clássicos Revolver (1966) e Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band (1967), só para citar dois que gosto muito. Solo, cito um que admiro: Double Fantasy (1980). E claro, não há como não falar de Imagine (1971), disco que traz a música homônima e que se tornaria o hino de Lennon pela sua mensagem altruísta.

Por mais que você não seja admirador dos Beatles ou mesmo de John Lennon como músico, não há como negar a força que este “besouro” teve e continua tendo dentro da sociedade mundial. Lennon criticou o cristianismo (e com razão) e anunciou que sua banda era mais popular que Jesus Cristo. Independente das polêmicas, parte mais tola da história, Lennon nos deu alguns alertas com suas músicas e suas declarações: a burrice das guerras, a importância da paz e do amor entre os seres humanos. Nada mais óbvio e clichê, mas que continua sendo ignorado por parte da população.
Então, vamos homenagear Lennon cultivando a paz, sendo responsáveis em qualquer setor das nossas vidas e se puder, ouvir as belas canções que ele deixou. Abaixo coloquei os vídeos de duas músicas que gosto muito: Stand By Me e Woman.

Leia trecho abaixo retirado da revista Rolling Stones:
Nascido em Liverpool no dia 9 de outubro de 1940, John Winston Lennon gamou para valer em música em 1956, ao ouvir “Heartbreak Hotel”, clássico de Elvis Presley. No ano seguinte, segundo Mark Lewisohn, um dos maiores conhecedores da trajetória dos Beatles, Lennon ganhou uma guitarra de sua tia Mimi e então decidiu formar a banda Quarry Men, composta inicialmente por ele e seu amigo Pete Shotton. O grupo contava com demais colegas de escola e John ficava a cargo da guitarra e do vocal.
O encontro entre ele e Paul McCartney aconteceu em julho de 1957, enquanto o
Quarry Men se apresentava na igreja de St Peter’s Parish, em Woolton. James Paul McCartney, que tinha então 15 anos de idade, observava o grupo durante a apresentação e, após o show, fez amizade com o vocalista. Começava ali uma das maiores parcerias que o rock já teve. George Harrison entrou na banda em 1958 e Ringo só assumiu as baquetas no ano de 1962, no lugar de Pete Best, quando o Quarry Men já há muito tempo não mais se chamavam assim, mas Beatles.

Discrografia John Lennon, incluindo coletâneas:
Unfinished Music Nº 1 – Two Virgins (1968)
Unfinished Music Nº 2 – Life With The Lions (1969)
Wedding Album (1969)
Live Peace In Toronto (1969)
John Lennon/Plastic Ono Band (1971)
Imagine (1971)
Sometime In New York City (1972)
Mind Games (1973)
Walls And Bridges (1974)
Rock ‘n’ Roll (1975)
Shaved Fish (1975)
Double Fantasy (1980)
The John Lennon Collection (1982)
Milk And Honey (1984)
Live In New York City (1986)
Meanlove Ave. (1986)
Imagine (Soundtrack) (1988)
Lennon 4 CDS Boxed Set (1990)
Lennon Legend – The Very Best Of John Lennon (1997)
The John Lennon Anthology (1998)
Wonsaponatime (1998)

Discografia Beatles:
Please Please Me (Parlophone, 1963)
With the Beatles (Parlophone, 1963)
A Hard Day’s Night (Parlophone, 1964)
Beatles for Sale (Parlophone, 1964)
Help! (Parlophone, 1965)
Rubber Soul (Parlophone, 1965)
Revolver (Parlophone, 1966)
Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band (Parlophone, 1967)
Magical Mystery Tour (Capitol, 1967)
The Beatles (“The White Album”) (Apple, 1968)
Yellow Submarine (Apple, 1969)
Abbey Road (Apple, 1969)
Let It Be (Apple, 1970)

Um site excelente sobre os Beatles, que detalha a carreira da banda e de cada um individualmente: http://www.beatleshp.com

Clicando aqui você lê mensagem de Yoko Ono sobre os 70 anos de John Lennon e a última entrevista dele, à rede britânica BBC.

Você sabia?
A discografia de John Lennon será lançada em cds remasterizados em outubro. Os lançamentos servem para marcar aquele que seria o aniversário de 70 anos do ex-Beatle. Todas as canções do músico foram remasterizadas nos estúdios Abbey Road sob a supervisão da viúva do músico Yoko Ono.
No pacote estão os discos lançados nos anos 70, o álbum póstumo “Milk and Honey” de 1984 e “Double Fantasy”, de 1980, o último lançado em vida por Lennon que terá como bônus um disco com uma nova remixagem, mais crua.
Além desses também serão lançadas uma coletânea, uma caixa com quatro cds temáticos (raízes, política, amor e vida) e finalmente uma caixote com 11 cds, que terá além dos álbuns, um disco com faixas inéditas e outro com singles que não fizeram parte dos álbuns como Happy Xmas (War Is Over) e Instant Karma.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s