Balanço do Oscar 2010

kathryn Bigelow recebendo o Oscar de Melhor Direção anunciado por Barbra Streisand

kathryn Bigelow recebendo o Oscar de Melhor Direção anunciado por Barbra Streisand

Nestes últimos anos não tenho me empolgado muito com as cerimônias do Oscar. Ontem, ainda bem, foi atípico, embora eu nunca fique satisfeito com todos os resultados, o que é normal para qualquer um. Mas no geral, eu gostei muito de quem venceu as estatuetas e nem preciso dizer que fiquei muito feliz por “Guerra ao Terror” ter levado as estatuetas de Melhor Direção e Melhor Filme.

Kathryn Bigelow ter sido a primeira mulher a levar o Oscar de direção em 82 anos de premiação, emociona. Simbolicamente também, já que ela levou o prêmio quando já era 8 de março, Dia Internacional da Mulher. Mas isso não é tão importante para o cinema, quanto o seguinte fato: “Guerra ao Terror” custou 11 milhões de dólares (detalhe: foi financiado pela França!) É muito, caso esse dinheiro aparecesse em sua conta bancária. Mas em se tratando da indústria de cinema dos Estados Unidos, pode-se dizer que é mixaria, ainda mais quando o principal concorrente de Guerra, “Avatar”, custou 500 milhões de dólares!!!

O que isso significa? Para mim, fica claro que o investimento em um filme pode torná-lo magnífico visualmente e consagrá-lo como um novo paradigma tecnológico, mas isso não garante a inteligência do roteiro e inventividade na direção. Mas para não ser injusto, cito a trilogia “O Senhor dos Anéis”, que é lindo visualmente e tem excelentes direção e roteiro. Voltemos. “Avatar” é um filme bom, sim, lindo de se ver, eu adorei, mas “Guerra” tem duas coisas que o tornam melhor: Roteiro e Direção.

A Academia acertou, a meu ver, em dar os principais prêmios ao filme. Acho que teremos mais filmes de baixo orçamento, assim como foi Bastardos Inglórios (não chegou a 10 milhões de dólares, se não me engano). Com essa decisão, creio eu, teremos mais filmes nos quais a criatividade, a inventividade, a busca pelas melhores soluções não utilizam como suporte apenas o dinheiro.

E para não deixar de comentar, não fiquei triste por Jeremy Renner, o protagonista de “Guerra ao Terror”, ter perdido para Jeff Bridges. O cara já merecia ganhar e a Academia sabiamente o premiou. Eu adoro Jeff Bridges. Acho que tudo que faz é muito intenso e marcante, pelo menos os filmes que vi.

Outra escolha que gostei foi Sandra Bullock como melhor atriz, embora não tenha visto o fime “Um sonho possível”. Eu a acho uma atriz muito interessante, embora não tenha a densidade e a diversidade de uma Helen Mirren, por exemplo. O engraçado é que ela levou a estatueta no mesmo dia que ganhou a Framboesa de Ouro, que elege os piores. Claro, a atriz levou na brincadeira.

Voltando a “Bastardos Inglórios”, que foi o último filmes que vi antes da premiação, achei pouco ele ter levado a penas a estatueta de Melhor Ator Coadjuvante para Christoph Waltz (aliás, mais do que merecida). Bastardos é um bom filme, muito competente. Não há como negar a inteligência de Quentin Tarantino quando vemos o filme. Ele é muito debochado, irônico, no melhor sentido, e sabe conduzir uma câmera muito bem. Eu adorei ver Adolf Hitler e Joseph Goebbels morrerem fuzilados, como conseqüência de um plano arquitetado por uma judia em busca de vingança.

Bom, não vou me estender tanto quanto a premiação, mas gostaria de comentar as apresentações para Melhor Ator e Melhor Atriz. Achei muito comovente colocar cinco colegas, um para cada indicado, falando um pouco do que essa pessoa representa para a indústria, sua personalidade, etc. Achei muito bacana, mesmo. Um dos pontos altos da premiação deste ano.

Penúltima observação e depois a revelação de um sonho. A dupla de apresentadores se saiu muito bem. Eu acho Steve Martin e Alec Baldwin dois grandes atores. Outro acerto da Academia foi reduzir o tempo dos apresentadores no palco, o que deixa a cerimônia mais leve. Eles conduziram muito bem: discretos, engraçados, articulados. Gostei muito.

Meu sonho é ver uma das minhas musas de todos os tempos, Michelle Pfeiffer, levar a estatueta de Melhor Atriz, seja como protagonista ou coadjuvante. Eu a acho uma das mulheres mais lindas do mundo e uma atriz competente. É só assistir a filmes como “Ligações Perigosas”, “Susie E Os Baker Boys”, “Frankie e Johnny”, Stardust – O mistério da estrela”, “Nunca é tarde para ama”, “Uma lição de amor”, “Hairspray”, etc.

Agora é correr atrás de alguns filmes que não consegui assistir e me diverti com um bom roteiro e com uma boa direção, seja qual for o estilo e o país.

Confira a lista dos vencedores:

Melhor filme: Guerra ao terror
Melhor direção: Kathryn Bigelow, Guerra ao terror
Melhor atriz: Sandra Bullock, Um sonho possível
Melhor ator: Jeff Bridges, Coração louco
Melhor filme estrangeiro: O segredo dos seus olhos (Argentina)
Melhor edição (montagem): Guerra ao terror
Melhor documentário: The cove
Melhores efeitos visuais: Avatar
Melhor trilha sonora: Up – Altas aventuras
Melhor cinematografia (fotografia): Avatar
Melhor mixagem de som: Guerra ao terror
Melhor edição de som: Guerra ao terror
Melhor figurino: The young Victoria
Melhor direção de arte: Avatar
Melhor atriz coadjuvante: Mo’Nique, Preciosa
Melhor roteiro adaptado: Preciosa
Melhor maquiagem: Star trek
Melhor curta-metragem: The new tenants
Melhor documentário em curta-metragem Music by Prudence
Melhor curta-metragem de animação: Logorama
Melhor roteiro original: Guerra ao terror
Melhor canção: The weary kind, de Coração louco
Melhor animação: Up – Altas aventuras
Melhor ator coadjuvante: Christoph Waltz, Bastardos inglórios

Anúncios

Um pensamento sobre “Balanço do Oscar 2010

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s