Alanis Amarante

Nos idos de 1996 eu fui ao meu primeiro show internacional (o segundo foi o do Placebo, na Concha Acústica do Teatro Castro Alves). Conhecia muito pouco do maravilhoso disco Jagedd Little Pill (1995), mas fui como um fã das poucas canções que ouvi até ali. Alanis Morissett era o nome da artista.

O show foi no antigo Metropolitan, em Jacarepaguá, Rio de Janeiro. Cheguei cedo, muitos chegaram também. Quando as portas se abriram, rodas de amigos se formaram para bater aquele papo antes do espetáculo. Vi pessoas com o disco na mão, cantando as músicas como mantras. Alguns famosos estavam lá: George Israel, do Kid Abelha e Suzana Werner (tenho impressão que ela “atuava” em Malhação), que assistiu ao show do meu lado. Estava só e saiu só (acho).

Na época, Taylor Hawkins, o baterista do Foo Fighters fazia parte da banda.
Achei as músicas vibrantes, com uma energia fabulosa. Adoro “Forgiven”, sempre me deixa com vontade de dizer verdades com muita raiva.

Enfim, lembro este fato por saber que Alanis vem tocar aqui em Salvador. Mas é mais do que isso. Considero Alanis uma excelente artista, que influenciou muitas meninas que vieram cantar suas agruras e felicidades femininas: separação, traição, sexo etc. (Não posso esquecer de Tori Amos – outra artista que influenciou nos mesmos moldes). Quando ouço Kate Perry, lembro de Alanis, embora o seu disco de estréia “One of the Boys” não seja tão bom quanto Jagedd Little Pill. Eu gostei, ouço direto, mas falta a força lírica, interpretativa e melódica que o de Alanis possui.

Espero que Alanis faça um maravilhoso show no Festival de Verão.

***

Outra coisa que quero comentar é o disco de Amarante com sua banda Little Joy, formada por Rodrigo Amarante, Fabrizio Moretti e Binki Shapiro (lindinha ela, viu?).

Ontem, voltando de mais um dia de labuta, coloquei “Dig Out Your Soul”, o novo disco do Oasis, para tocar…excelente. O melhor desde o lindo “(What’s The Story) Morning Glory?”. Em seguida, começou a tocar o disco do Little Joy. A primeira vez que ouvi, não me impressionou muito. Isso acontece sempre, né? É normal não perceber a beleza de determinados trabalhos em apenas uma audição. E o disco de Amarante me ganhou. Achei lindo mesmo. Possui aquela atmosfera deliciosa dos anos 50, 60. De uma juventude ingênua até. Sabe, me lembrou Beach Boys.

Sempre gostei muito do Amarante e ficava pensando se gostava mais das músicas dele ou de Marcelo Camelo. Embora Camelo tivesse mais composições nos discos do Los Hermanos, sempre curti mais a pegada, as melodias e as letras de Amarante. Calma, também sou fã de Camelo. Os dois estão trilhando caminhos de cores diferentes e nos dando músicas boas, acrescentando qualidade ao cenário pop, tanto nacional quanto internacional.

E que música legal, essa aí abaixo.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Alanis Amarante

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s